terça-feira, 25 de novembro de 2008

Solverde de Chaves

Mais uma excursão, desta feita para Chaves. 2.º torneio no novo casino, desta vez com a complementaridade do hotel já em funcionamento e com acesso directo ao casino. Uma maravilha e uma unidade com umas condições fantásticas. Parabéns ao Grupo Solverde por este investimento numa zona do país que bem merece.

O torneio foi bastante atípico, nota-se que a estratégia da organização funciona lindamente. Sempre muitas caras novas em todos os torneios, o buy-inn acessível faz com que muita gente que se está a iniciar vá experimentar a sensação de jogar live. Isso é muito bom para o poker, renovação constante dos jogadores e dos seus estilos de jogo.

A minha primeira mesa era uma mistura de jogadores conhecidos (SergioFer, TonyL, Xico), alguns ´que já conhecia mas não sei o nome e gente nova. Um deles foi chip leader durante bastante tempo, Frederico, um vizinho da Trofa, sempre bem-disposto e uma boa presença na mesa.

Até ao add-onn, nada de especial. O Xico estava à minha esquerda e fez duas 3-bet a raises meus, avisei-o para não abusar (eheheh). Depois do add-onn, fui perdendo alumas fichas até ficar com 5400 fichas. Nesta altura, tive a melhor run de cartas que alguma vez apanhei num solverde. Numa hora, 3 vezes AA e 3 vezes AK e passo para as 35 000 fichas. Surreal, mas podia ter guardado 1 ou 2 mão para mais tarde.

Mudo de mesa e a good run parece continuar. 88, raise em early position, um jogador com 8500 fichas faz shove, eu dou o call e vejo AQ na mão do adversário. Flop 22Q, turn K, river 8. Let's go.
Na última mão antes do break, QQ na BB e re-raise ao The Swedish Chef, ele larga e mostra A10. 45 000 e vamos jantar. Nesta altura, tudo estava bem.

Na primeira mão após o break, tudo fold até mim. Estou na SB, tenho K4, blinds a 400/800, a BB tem cerca de 7000. Fold pareceu-me muito weak, a dúvida era o raise ou shove. Raise-fold não era opção, opto pelo shove para colocar o máximo de pressão. Ele dá call de 33 e primeira corrida perdida.

Pouco depois, Jay Jay faz raise early position, tenho AJ no button e dou call. Flop Q 10 x, Jay Jay fica a olhar para mim para ver a minha reação (eu tb te estava a ver, ehehe) e anuncia check. Como não quero largar a mão a um check-raise, opto pelo check. Turn K e nuts. Jay Jay aposta e eu vou all-inn para insta-fold. Tinha 99. Esta foi a última mão que joguei nesta mesa, apesar de ainda ter ficado quase uma órbita lá. Começou o cold deck.

Mudo de mesa e novamente para a mesa do Frederico, nesta altura chip leader e a pintar-lhe tudo. Sempre em jogo, sempre com fé, sempre com min-raises, estava a dominar a mesa. E que rica mesa era esta. Zumy, Ninja, Wolfiee, Archk8, vidas boas e o chip leader. Nesta altura estão cerca de 70 jogadores e a minha posição confortável começava a ser atacada pela blinds e antes. Quase 2 órbitas sem conseguir ganhar um pote e estou na BB. Tudo folda até ao Ninja, ele faz raise e eu encontro A8 na BB. Como a mesa estava, com constantes min-raises do chip leader, pensei que o open range dos restantes jogadores estava bastante alargado, pois naquela mão o chip leader estava de fora. Opto pelo re-raise para 12000, o Ninja vai all-inn de mais 10 000 e tenho que pagar. Ele mostra KK mas no river não saiu nenhum dos meus 11 out's. Um A, um 10 ou um 6 davam-me a vitória. Fico com 12 000 fichas e com a sensação de poder ter evitado aquela situação e manter-me acima da média. Mas pareceu-me um bom spot, correu mal, next.

Quero dar aqui os parabéns aos tirsenses que fizeram ITM, Nuno, Jaqueline e João. A evolução do grupo de amigos mais chegado nota-se a olhos vistos, a experiência acumulada ajuda imenso. Parabéns aos 3, se bem que tive que puxar muito por um J para o João não ser Bubble. No domingo, turbo e uma entrada para o Rui, foi um fim de semana razoável, faltou um dos top 5 para ser perfeito.

Para a Tikita, um beijo especial e desejo de bom aniversário.