sexta-feira, 11 de abril de 2008

Solverde Abril - Vilamoura

O poker cresce a um ritmo excepcional. Torneios em vários locais, fins de semana bastante ocupados, viagens para Norte, viagens para Sul, viagens para o litoral.

No fim de semana passado, foi a vez de Vilamoura acolher o Solverde Season. O local é fantástico e o espírito de férias está presente na maioria dos jogadores. Mas também temos um forte contigente de jogadores algarvios a saber bem receber. Caue, socioanonimo, alicept, sergiofer, Bessa, Nsemog, Bulex, BlocodaBarra, Sócio, jomil, tudo gente boa e que é sempre um prazer rever.

Arrancamos na sexta de manhã, eu, Tikita, Herlander e Catarina num carro, Rafael, Biopick, Rui e Nya noutro carro. Aventuras em viagem? Algumas. Mete luzes de carros a ultrapassar, caminhar a pé na auto-route a ver qual o problema, continuar viagem, faísca a sair dos pneus (leia-se arame) e furo a 70 Km de casa. Pelo meio um almoço maravilhoso na Guia, um franguinho da Guia bastante saboroso.


Na sexta-feira conheci o pessoal da NoIQ Poker, David e Nils. Gente boa, bastante simpática e que vieram conhecer a equipa NoIQ e o ambiente dos torneios em Portugal. Gostaram bastante e ficaram de repetir. Receberam um cachecol do FC Porto, e no sábado foram jogar com ele.



Jogámos 2 sits, no primeiro fomos dominados pelo poder Sueco, no segundo levei bad beat do Policy quando ele perdeu a cabeça e entrou no jogo dos all-inns que tanto criticava. Um J no river impede-me de ficar com fichas para lutar pela vitória e ganhar um iPod. GG Ninja.



Sábado, o torneio principal. Mesa muito interessante, com caras conhecidas e algumas novas. Eman, diegoplayer, fredibel e catita estiveram largas horas na mesa, entretanto foram chegando mais caras conhecidas como Kinas, Alive, Azorean kid e mais uns quantos.



Torneio muito estranho mas em que a estrutura mais deep até ao jantar permitiu que sobrevivesse com um cold deck brutal. Não passei do intervalo entre as 10 500 e as 6 800 fichas. Até ao jantar. Apenas uma mão interessante em que faço complete na SB com 66, flop AJ6, 2 copas, faço check-raise ao Eman, ele faz call mas a 3.ª e a 4.ª copa no turn e river mata toda a acção.

A seguir a esta mão, acção em 2 mãos contra 2 jogadores ingleses mas que perdi as mãos. E que me fez acalmar um pouco, para proteger a stack. Ainda tenho um JJ na BB, com um raise do catita e call do Eman, mas o meu push não foi pago. Deu para aguentar mais 2 órbitas.

Após o jantar, decidi que era a altura de procurarmos a sorte e não ia deixar-me morrer pelas blinds. 1.ª SB, J6, all-inn, BB larga. A seguir entra o Azorean Kid na mesa e logo para BB. Tudo fold até mim, no cut-off, e faço all-inn com 53o. Todos foldam até á BB que demora imenso tempo a pensar. Tinhamos stack's semelhantes e hesitou bastante. Acaba por foldar e eu mostro a mão para tentar recolher uma vantagem num confronto futuro.

Logo na mão a seguir, cenário de sonho. Com a imagem que deixei na mesa, qual a melhor para recebermos logo a seguir? Exacto. Foi mesmo essa. UTG, chip leader da mesa, raise para 2500 (BB a 800), um jogador middle position pensa, pensa e desiste (tinha 99 e fazia sequência). Eu tenho AA e faço push de 11 000 fichas. Ainda faltava a SB e a BB falarem e o UTG já tinha as fichas no meio da mesa, cheio de vontade de apanhar o bluffento que tinha mostrado 53o.

Finalmente com uma stack em condições. Um raise-fold a all-inn na SB e passado uma orbita o maior pote da noite para mim. Estou na BB, um inglês faz raise 2,5 BB e eu vejo 10 10. Faço call para avaliar no flop qual a melhor decisão. O flop sai baixo e após o meu check, o agressor aposta 6 000. Quase o pote num flop tão baixo, tive quase a certeza que estava à frente. All-inn de 19 000 fichas, e após pedir contagem das fichas, faz call e mostra 77. WoWoW. 50 000 fichas e finalmente podemos pensar em alguma coisa.

A seguir, a mão mais complicado torneio. All-inn UTG de um jogador short que já tinha ido all-inn na mão anterior, eu tenho QQ e faltam falar as big stacks da mesa. Que decisão tomar? 0% de fold, o call era muito mau e dava pot odds às big stack de irem lá com mãos como AK, AQ, AJ, JJ, TT, 99. Raise para metade da stack? Não me pareceu o melhor e optei por colocar o máximo de pressão. Há um call all-inn de um jogador que tinha 12k fichas e o AA apareceu. Passei de possíveis 65 000 fichas para as 30k. Foi o momento em que podia ter dado o salto.

A seguir a esta jogada, apenas mais 4 mãos. Na primeira, faço raise com 55, o Nuno catita vai all-inn e tenho que fazer o call. Ele mostra AQ mas o meu par foi mais forte e eliminei um amigo e que jogou bastante naquela mesa. A 2.ª mão é um raise com KJ e que tenho que pagar all-inn a um A8, não melhoru a minha mão e perdi.

A seguir, o momento mais dificil. Raise com AQo, o Hugo Alive faz re-raise. Após muito pensar, larguei a mão. No intervalo, disse-me que tinha KK. Após esta mão, cold deck brutal associado a antes e blind avassaladoras. Perdi um 1/3 da stack sempre a foldar, em apenas uma órbita e meia. O torneio estava esquisito, não havia big stacks, ia ser uma lotaria os últimos 50 lugares. Após pagar as blinds, fico com 30k fichas e a estrutura passa para 2 000/4 000 com ante de 400. Tenho um M de 3 e decidi fazer push com a primeira mão não raisada. Quis a sorte que fosse 10 5. O Kinas tinha KK e estava fora do torneio no lugar 51. Outra vez perto.

Em grande destaque neste torneio esteve a Tikita, que conseguiu o 32.º lugar. Mudou de mesa após ter pago as blinds, e isso condicionou bastante a parte final do torneio. Acredito que se não fosse a mesa dela a fechar, tinha conseguido aguentar mais uma ou 2 órbitas e se aparecesse uma mão para dobrar a stack, tinha presença garantida ITM.



Mas o maior de todos foi o meu conterrâneo, Rui "Ganbler" Sousa. 3.º lugar e 3 500€. Um torneio em crescendo e que na final table jogou muito sólido. Podia ter chegado ao lugar mais alto do pódio, esteve com a mesma stack dos outros 2 jogadores, mas depois não bateu no final. Mais um grande resultado do Thyrsense Poker Club.



Bravo Rui. Quem será o Tirsense a brilhar em Chaves? A comitiva vai ser interessante.
Eu, Tikita, Rui, Biopick, Joazinho, Jaqueline, Herlander, Caprício, Katrina e Nuninho. Temos que chegar novamente à final table.

Para já, no próximo fim de semana, mais uma internacionalização. Agora em La Toja, para o I torneio de La Toja, organização poquerpoquer.com. Será uma enchente à portuguesa.

2 comentários:

JoJosho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
melo disse...

Força comitiva Tirsense...
Santo Tirso é lindo e está em todo o lado, FORTE como sempre.